Quer ganhar mais dinheiro? Então aprenda a ter pensamento positivo.

Autor de best-sellers sobre a felicidade e o sucesso, o americano Shawn Achor ensina método com 5 passos para se tornar uma pessoa mais otimista e aconselha: “ao invés de trabalhar duro, pense em trabalhar mais feliz”

Shawn Achor

É bem provável que alguém já tenha lhe dito que, para ganhar mais dinheiro, é preciso trabalhar duro. Ainda que isso seja verdadeiro, não é a maneira mais eficiente de enriquecer, segundo o escritor e palestrante americano Shawn Achor, autor de best-sellers como “O Jeito Harvard de Ser Feliz” e “Before Happiness”. Achor já fez palestras em mais de 50 países, treinou funcionários em mais de um terço das 100 maiores empresas americanas e gravou um dos 20 vídeos mais vistos da história dos TED talks, com quase 15 milhões de visualizações.

Após estudar o comportamento dos melhores alunos da Universidade Harvard e executivos das maiores companhias dos EUA, o pesquisador concluiu que 75% do sucesso dessas pessoas no trabalho não pode ser explicado pela inteligência ou dedicação, mas pelo otimismo, pela rede de contatos sociais e pela habilidade de canalizar a energia para coisas positivas.

E não é só isso: as pesquisas de Achor mostram que as pessoas com pensamento positivo vendem mais, são mais criativas, produzem mais, recebem mais promoções, sofrem menos sintomas de fadiga e até mesmo vivem mais – 39% das pessoas com alto nível de otimismo viverão ao menos até os 94 anos. “Ao invés de trabalhar duro, pense em trabalhar mais feliz”, aconselha. Leia a seguir os principais trechos de palestra que Achor fez na Expert Latin America Conference 2017, promovida pela XP Securities em Miami:

O trabalho nos torna pessimistas

Se você coloca a felicidade do lado oposto do objetivo, não vai ser feliz. Não dá para ficar pensando: “quando me casar vou ser feliz”, “quando for promovido vou ser feliz”, etc. As pessoas que pensam assim não vão ser felizes nunca. Você tem que começar a treinar seu cérebro agora mesmo para ser mais feliz. As pessoas me perguntam se é possível aprender a ser mais positivo. Eu sempre me recordo quando pesquisadores de Harvard pagaram e um grupo de alunos para jogar Tetris, aquele game em que você precisa organizar as peças de forma a criar linhas de quadrados da mesma cor. Depois de 5 horas de Tetris por dia, eu e meus amigos saíamos para a rua e nos pegávamos organizando os pacotes de pão na prateleira do supermercado.

Da mesma forma seu cérebro cria um padrão de comportamento comum a quem joga muito videogame, as pessoas que trabalham também criam padrões atrelados a suas tarefas. Uma vez estudei um grupo de auditores da KPMG que procurava erros nas declarações de Imposto de Renda das pessoas. Um dos auditores estava tão acostumado a listar erros que certa vez montou uma planilha com tudo que a mulher fazia que lhe incomodava. É óbvio que ele não era um sujeito ruim. Mas o cérebro dele estava treinado para procurar erros em tudo. A pessoa que só procura erros começa a se sentir infeliz, se isola, para de almoçar com os amigos.

Devido às características de muitos empregos, nossos cérebros se tornam especialistas em escanear problemas. Há muita gente que quanto mais é promovida, mais infeliz se torna. Ficamos pessimistas porque nosso cérebro se torna o que ele pratica. Se eu malhar o bíceps, vou ficar mais forte. Se eu parar por quatro a seis meses, meus músculos vão atrofiar.  Se você escaneia o mundo procurando erros, reclamações e incêndios a apagar, seu cérebro vira especialista nisso. E quando você olha para seu cônjuge, já não lembra um motivo sequer para se empolgar segurando sua mão.

5 dicas para ser mais positivo

Mas o que fazer para ser mais positivo? Indico cinco passos:

1)      Todos os dias pense em três motivos para ter gratidão: não agradeça pelo seu filho porque depois de algum tempo sendo grato pelo seu filho todos os dias isso não vai mais adiantar. É preciso ser mais específico. Seja grato porque seu filho disse algo que lhe fez rir ou porque sua filha lhe beijou em determinada situação. Gaste dois minutos por dia fazendo esse exercício que você vai se tornar alguém otimista em no máximo seis meses – mesmo que você esteja passando por uma fase de luto ou depressão;

2)      O duplicador: em uma das suas experiências positivas que teve a cada dia, pense em 3 detalhes do ocorrido. Tente se lembrar o que você estava pensando naquele momento ou o que você estava vestindo. Isso faz com que você grave essa memória no seu cérebro por mais tempo. Após três semanas, seu cérebro já estará seguindo o padrão de gravar uma boa memória por dia;

3)      15 minutos de atividade física por dia: isso é o equivalente a tomar um antidepressivo. O exercício é uma quase uma droga. Depois crie outros hábitos positivos, de forma a continuar preenchendo sua agenda com coisas boas;

4)      2 minutos de meditação por dia: certa vez disse aos funcionários do Google que era para eles tirarem a mão do teclado dois minutos por dia para concentrarem a atenção na própria respiração. Fizemos esse exercício e em seguida perguntei o que eles tinham achado. A primeira reposta que ouvi é que eles estavam se sentindo dois minutos atrasados. Mas 21 dias depois eles se sentiam mais felizes após esse momento de meditação;

5)      Consciência de um ato de bondade: escreva um e-mail ou uma mensagem todos os dias elogiando alguém. Depois de 21 dias, isso já estará deixando você mais feliz porque, quanto melhores forem suas conexões sociais, maior a probabilidade de alcançar a felicidade.

Mas é realmente possível treinar o cérebro para o otimismo?

Costumo dizer que comecei a fazer essa pesquisa científica aos 7 anos. Minha irmã tinha 5 anos e eu queria brincar de guerra com ela, com meus Comandos em Ação. Minha irmã no beliche tinha pôneis, unicórnios, etc. Era disso que ela gostava. Um dia estávamos brincando e ela desapareceu do topo do beliche e caiu no chão. Fiquei tenso porque havia prometido aos meus que brincaríamos com segurança, mas na queda ela quebrou o braço. Vi a dor no rosto dela. Quando ela estava prestes e gritar e acordar meu pais, eu disse: “Amy, você viu o que aconteceu? Ninguém cai assim de quatro no chão. Isso significa que você deve ser um unicórnio.” Ela ficou tão feliz com a descoberta que não chorou. Em vez disso, ela sorriu com a graça de um unicórnio neném.

Nosso cérebro é incrível, mas só pode processar uma parcela ínfima das 11 milhões de informações que recebe por segundo. O cérebro só está vendo partículas na nevasca. Só enxerga o que ele se concentra para ver. É por isso que acredito que a felicidade é uma escolha. Se você liga o rádio, as informações que vai receber são de casos de corrupção, assassinatos, impeachment, etc. E isso faz com que a gente pense nessas coisas, ainda que elas não estejam dentro da nossa realidade. Se eu sorrir meu cérebro aumenta a dopamina e quem está perto sorri também. O sistema espelho é mais forte que o sistema motor. Se alguém boceja, outros bocejam também. Se alguém começa a olhar muito para o relógio e demonstra impaciência no aeroporto, outras pessoas também começam a fazer isso. Sorriso, bocejo, stress, ansiedade: tudo isso é contagiante, pode testar.

Se alguém só fica expressando sofrimento, se torna um cara negativo para a sociedade. Se a gente fica negativo perde o quão belo o ser humano é. Processamos o mundo em conjunto com outras pessoas. Se somos egoístas, a felicidade nos escapa. Temos que ser felizes com os outros. Vou dar um exemplo. Certa vez treinamos 11.000 médicos e enfermeiras de uma rede de hospitais a sorrir e olhar nos olhos dos pacientes sempre que estivessem em contato com eles. O paciente nunca foi treinado para fazer isso. Mas quando eles entram no hospital e veem todo mundo sorrindo, eles também sorriem. E isso contagia. Seis meses depois desse treinamento, o que a direção dos hospitais percebeu é que houve um aumento no número de visitas de pacientes. E não foi só isso: as pessoas gostavam mais do serviço.

Só 10% da nossa felicidade deve-se ao mundo externo. Os outros 90% são a forma como processamos as informações. Treine você mesmo para ser mais positivo que você será mais feliz, terá mais amigos, será mais promovido, etc.

Fonte: InfoMoney/Carreiras