Matemática na Engenharia

Tenho dificuldade em matemática. Posso cursar engenharia?

Orientador profissional dá dicas para lidar com as dúvidas

Por Respondido pelos orientadores do Nace - Orientação Vocacional

Matemática na Engenharia

(JordiDelgado/iStock)

Olá! Tenho vontade de cursar engenharia de petróleo e gás, mas tenho medo de não ser para mim e me arrepender. Já li muito sobre a faculdade e me interessei, mas o que me deixa aflito é que na escola eu nunca fui muito bom em matemática, embora esteja disposto a aprender. O que eu devo fazer? - Anônimo

Olá!

Os cursos de engenharia exigem o desenvolvimento de conhecimentos complexos em cálculo. Durante os dois primeiros anos estuda-se conteúdos ligados a cálculo diferencial e integral, geometria analítica e descritiva, cálculo vetorial, estatística e probabilidades, física avançada amplamente apoiada em cálculos complexos.

Parte dos alunos que desistem da opção por engenharia o fazem pelas dificuldades nestes conteúdos.

Entretanto, isso não é totalmente impeditivo. Dedicação intensa aos estudos, apoio por meio de grupos de estudos entre alunos e busca de cursos paralelos podem ajudar a superar as dificuldades.

Leia também: A Matemática dos Bitcoins

Considere que isso pode envolver muito tempo, alteração de rotinas de vida e recursos financeiros eventualmente. É necessário avaliar, portanto, qual a medida de sua motivação para superar tais obstáculos.

Para melhor avaliar a dimensão de seu desafio, visite faculdades e entreviste alunos e professores de engenharia. Pesquise as grades curriculares das universidades que oferecem a opção que deseja.

Fonte: Guia do Estudante

Publicidade: Se você ainda não tem este aplicativo gratuito instalado no seu navegador (Chrome ou Firefox), você está perdendo dinheiro. Saiba mais:

Cryptotab

A Matemática dos Bitcoins

Os bitcoins estão disponíveis em uma rede — a primeira de pagamentos, descentralizada, de ponto a ponto — em que quem usa é quem gerencia o sistema.

Se não há intermediador nem uma autoridade central, quem os controla e como eles são criados?

Como Ganhar Bitcoins?

A forma de dinheiro que controla sua criação e transações por meio de criptografia foi publicada em 2009 por um desconhecido chamado Satoshi Nakamoto. Além de seu nome, não se sabe muito sobre o inventor do bitcoin. Ele deixou o projeto no final de 2010, embora ele tenha criado um sistema sem igual para o mundo.

MINERAÇÃO: COMO OS BITCOINS SÃO CRIADOS

A BTC não é uma moeda a ser impressa como o Real ou o Dólar, ela é minerada. A mineração se define como o processo que envolve adicionar registros de transação — blocos — ao Blockchain, livro razão público de bitcoins. Essa cadeia de bloco tem (e terá) registrada cada transação realizada que utiliza a criptomoeda. Essa informação pode ser acessada por qualquer pessoa, de forma pública.

Veja também: Ganhe Bitcoins enquanto usa o Google Chrome

Os mineradores formam os blocos ao agruparem transações que ficam propagadas na rede e, assim que finalizam, calculam um número que representa a informação, chamado de hash. Ele é gerado a partir de uma fórmula matemática complexa preestabelecida.

Vejamos o CPF como comparativo: o sistema do governo calcula, geralmente entre 11 e 15 números, um representativo para um indivíduo. A rede Bitcoin utiliza 64 dígitos e, entre eles, existem números de 0 a 9 e letras de A a F, tornando hash uma sequência hexadecimal. Então basta calcular o hash e podemos inserir dados na Blockchain? Não!

Embora seja facilmente criado, ainda existe o protocolo BitCoin que torna a inserção na corrente bem difícil, utilizando a “prova de trabalho”. O próximo passo é encontrar o “nonce”, mais um pedacinho de código. Calculam-se repetidos hashs, dentro do bloco, alterando somente essa parte até encontrar o verdadeiro nonce. Somente agora poderíamos dizer que o bloco foi calculado e integrado à cadeia. É por meio de tudo isso que são criados os bitcoins!

O SISTEMA PROVÉM RECOMPENSA E CONTROLE

Satoshi criou o sistema da Rede BitCoin pensando muito à frente. O código é programado para fornecer um montante aos mineradores que inserirem blocos à corrente a cada 10 minutos, fazer um “corte” no valor provido a cada 4 anos, ou quando encontrado o bloco de número múltiplo a 210 mil, e não ultrapassar o valor total circulante de 21 milhões de BTC.

Em 2009, quando lançado, aqueles que mineravam os blocos recebiam 50 bitcoins por bloco inserido. Passados alguns anos, em 2012, ocorreu o primeiro halving, passando a recompensa para 25 e, no ano de 2016, para 12,5 bitcoins.

O halving é um mecanismo desenhado para controlar a criação e a inflação da moeda, e, como o nome diz, divide na metade o montante. Em 2016, antes da data do terceiro corte, o prêmio de 25 bitcoins equivalia a algo em torno de 16 mil dólares!

E, já que não há tantos milionários assim no mundo, podemos concluir que todos os prêmios distribuídos foram compartilhados proporcionalmente à prova de trabalho. Um minerador pode ter ganhado 0,0001 bitcoin como recompensa.

A SEGURANÇA DAS BITCOINS

A rede é gigantesca e possui milhares de mineradores espalhados pelo mundo. Você viu o quanto é complicada a mineração e ainda existem alguns fatores que colaboram mais à segurança dos bitcoins, como o fato de que, para que não haja criação de blocos falsos na Blockchain, os mineradores devem mencionar o hash do bloco anterior.

Mesmo se quiserem tirar proveito e montarem um super computador — o protocolo sempre medirá 10 minutos do tempo, não importa a potência da(s) máquina(s) — para minerar mais do que o resto do mundo, seriam necessários 40 mil unidades do melhor computador do mundo de 2015, o Thiane-2, para alcançar metade da recompensa total de um bloco!

Hoje, uma das formas mais fáceis, confiáveis, e (o melhor) gratuita de minerar bitcoins é com a instalação de uma extensão do navegador Google Chrome chamado CryptoTab, que minera bitcoins quanto seu usuário navega normalmente pela internet.

Para instalar o CryptoTab no seu navegador basta clicar aqui.

Fonte: blog.foxbit.com.br | by Guto Schiavon