Simulados do ENEM

Três dicas para aproveitar ao máximo os simulados para o Enem

Não adianta pegar a prova e responder de qualquer jeito!

Por da redação - Publicado em 25 maio 2018, 13h04 | Guia do Estudante

Simulados do ENEM

Você provavelmente já sabe: fazer simulados é importantíssimo para mandar bem na hora dos vestibulares e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

É por isso que o Guia do Estudante, em parceria com a Evolucional, oferece duas vezes por ano o Simulado Enem – uma prova online e gratuita que dá acesso a um relatório completo de desempenho e nota TRI (o mesmo sistema de correção utilizado pelo Enem). Acesse aqui.

Mas não é só pegar a prova e responder de qualquer jeito – algumas atitudes são necessárias para que essa estratégia realmente funcione. Veja as recomendações de cursinhos:

Cronometre – e respeite! – o tempo

Você precisa cronometrar o tempo para resolver o simulado – até porque, sem isso, ele vai virar só mais uma lista de exercícios. Gaste no máximo três minutos por questão (que é o tempo disponível no Enem) e lembre-se de que, na hora da prova, será necessário reservar um tempo para preencher o gabarito.

Simule as condições da prova

O simulado só vai ajudar se você se comprometer a levá-lo a sério e de fato simular um ambiente de prova. Nada de resolver na frente da TV ou ficar fazendo pausas quando estiver cansado ou com fome!

Separe os materiais necessários para a prova (os mesmos que você pretende levar para o Enem), inclusive os alimentos, procure um lugar sem distrações, guarde o celular (lembre-se de que você não poderá usá-lo durante a prova) e peça às pessoas que moram com você para que não o interrompam.

Para que tudo funcione, programe-se para fazer a prova em um dia em que você realmente tiver o tempo necessário para resolver as questões.

“Ao simular a situação real de prova, o aluno irá treinar o seu corpo e a sua mente para se concentrar por 4 ou 5 horas seguidas”, explica Alexandre Takata, professor e coordenador do Cursinho Maximize.

Use o resultado para organizar sua estratégia de estudos

Seus erros e acertos no simulado vão ser fundamentais para definir sua estratégia de estudos. Ao terminar a prova, analise com atenção seu desempenho e identifique seus pontos fortes e fracos.

“Com o resultado do simulado em mãos, é preciso entender o porquê de cada um dos erros e revisar esses assuntos”, aconselha Alexandre Takata. “Como os conteúdos cobrados se repetem ano a ano, se o aluno utilizar as provas anteriores como simulados e estudar a partir de seus erros, ele irá acertar mais questões na prova oficial.”

Seus estudos devem privilegiar os pontos fracos e deixar de lado aquilo que você já domina. Afinal, não é hora de perder tempo com coisas que não precisam ser estudadas!

Atente-se também ao modelo das questões que você errou. Veja se o erro se deve a uma falha conceitual ou se o problema está na forma como a pergunta foi feita – no seu tamanho, no seu vocabulário ou até na presença de gráficos, tabelas e mapas que você talvez tenha problemas em interpretar.

Leia também: 10 dicas de concentração nos estudos para mandar bem no Enem

5 truques para não enrolar nos estudos

Confira abaixo as principais maneiras de lutar contra a procrastinação, de acordo com a ciência:

5 truques para não enrolar nos estudos

Leia também: 10 Motivos para Estudar Online

1) Tenha uma agenda ou algum caderninho que você pode usar para anotar suas tarefas e faça planos específicos, com data e hora (sim, bem específico). Só fazer a lista não adianta. Quando você coloca um prazo certo, sua produtividade aumenta. Afinal, existe um direcionamento e você pode se comprometer mais diretamente. Aproveite para colocar no papel o passo a passo do que você precisa fazer.

2) Pensar em passar uma tarde inteira estudando física assusta, né? A chance de abandonar essa ideia vai ser grande. Mas, se você destinar, por exemplo, apenas 1 hora do seu dia, as chances de desanimar são menores. E 1 hora é melhor do que nenhuma, certo? A ideia da dica é essa. Se você fizer suas tarefas em pequenos períodos de tempo, você vai ver que ela nem era tão ruim assim e que você já poderia tê-la resolvido há muito mais tempo.

3) Quando perceber que procrastinou, não se odeie. Perdoe-se. Aceite e bola pra frente. Não carregar essa culpa vai ajudá-lo a se tornar mais produtivo.

4) Seu trabalho não vai ficar melhor no futuro do que como ele ficaria se você o fizer agora. Uma das causas da procrastinação é a tendência de a pessoa se cobrar muito. “Tenho que ter um tempão livre para fazer essa atividade porque ela tem que estar perfeita!” ou “Hoje não estou tão bem assim e o trabalho vai sair horrível” são pensamentos que você deve evitar. Tente não exigir tanto de você e verá que será bem mais fácil começar algo.

5) Recompensar-se por fazer coisas que você não quer pode ser um motivador poderoso. Não coma o chocolate antes da tarefa. Diga que vai dá-lo de presente a si mesmo depois que terminar o que está fazendo. Valem como “presentes”: 5 minutinhos de pausa nos estudos para rolar o feed do Facebook ou dar aquela checada no WhatsApp, uma ida ao cinema depois de terminar os estudos do dia ou até uma soneca à tarde se você conseguir adiantar a lição de casa. Seja criativo nessa hora. Quanto mais legal, mais motivador!

E aí, tem alguma dicas que funciona com você? Compartilha com a gente nos comentários!

Fonte: Guia do estudante