Hábitos com o dinheiro que dizem muito sobre o seu perfil profissional

Hábitos com o dinheiro que diz muito sobre o seu perfil profissional

Hábitos financeiros

Os hábitos têm o poder de falar muito sobre a vida em diferentes campos dela, principalmente na carreira de uma pessoa. O impacto negativo no trabalho devido aos problemas financeiros e a forma como se lida com o dinheiro, tem alguns pontos característicos recorrentes. O especialista em planejamento financeiro Leandro Trajano destaca. “Cuidar bem do dinheiro mostra ao empregador e ao mercado de trabalho que você é responsável com algo pessoal e assim terá mais chances de ser com o trabalho e sua carreira também. Já o contrário irá gerar desconfiança do mercado em você como profissional”, explica.

Alguns deles:

Gastar mais do que se ganha: essa é a premissa da organização financeira, saber quanto entra todo mês e quanto você está gastando. “Uma pessoa que não sabe quanto recebe e quanto gasta, pode ter problemas para chegar no horário de entrada no trabalho ou das reuniões”, alerta o especialista.

Não pagar as contas em dia: não ter um controle de vencimentos das contas do mês e consequentemente sempre pagar juros pelos atrasos, pode significar que o profissional também terá dificuldades para entregar os projetos no prazo, ocasionando problemas no planejamento da empresa e com os clientes.

Usar o crédito de forma descontrolada: o cartão de crédito é um grande vilão para as finanças pessoais se usado sem responsabilidade. “Muita gente acha que o cartão de crédito é uma renda a mais, uma extensão do salário, e acabam por abusar e se endividar. Para o seu empregador, isso pode passar a imagem que você também não ira cuidar bem dos recursos da empresa”, explica Leandro.

Pegar empréstimos de forma inconsequente e sem uma análise coerente: neste quesito o educador faz o alerta de que este comportamento pode passar ao mercado de que você não irá tomar ações estratégicas e conscientes que envolvam projetos e compras com o dinheiro da empresa.

Em geral, pessoas com problemas financeiros, seja ele qual for, se não tiverem um bom suporte e orientação, tendem a ter problemas também em casa, fechando um circuito crítico e de peso na vida pessoal, familiar e profissional. “É uma fase que exige muito equilíbrio e organização. Análise e frieza para que o problema não se agrave, pois infelizmente poucos se dão conta que a situação no emprego pode ficar mais crítica e que se não for possível seguir na empresa, o problema financeiro tende a se potencializar”, alerta o especialista.

Fonte: Administradores.com