A criação de um hábito é a chave para a realização de suas metas

Buscar um emprego novo, mudar a sua atitude no trabalho, voltar a estudar… Tudo é uma questão de objetivos e planejamento. E da criação de hábitos

Metas e Objetivos

Imagem: Pixabay

Provavelmente você já deve ter escutado alguém falar que é possível criar um hábito dentro de um período de 21 dias. Mas não é tão simples assim.

A partir do momento que você inicia uma nova prática, seja tentar emagrecer ou começar a estudar, todo o seu organismo e sistema nervoso caminham na direção contrária para te tirar do caminho.

Quando você toma uma decisão de mudança e começa uma ação para que isso aconteça, é necessário prestar atenção em alguns pontos. O primeiro deles é considerado um dos mais importantes: começar com cuidado.

Se você decide tomar a iniciativa de sair da arquibancada e entrar em campo para jogo, é necessária muita energia para ganhar a partida, mas lembre-se de não se desgastar logo no primeiro lance.

Leia também: Entenda como administrar as emoções, buscando um melhor desempenho pessoal.

É importante que nesse primeiro dia você escolha uma ação que possa ser sustentável, pois assim como num jogo, se você colocar toda a sua energia logo no primeiro lance, não conseguirá sustentar a partida até o final.

A dica é ir aos poucos. Lembre-se: devagar e sempre. Mas não tão devagar, ok?

Assim como iniciar um treino, começar a estudar não é diferente. Por exemplo: quem vai à academia e logo no primeiro dia de treino já começa no nível hard, fazendo 2 horas de esteira e levantando mais peso do que deveria.

É provável que, no dia posterior, essa pessoa acorde com dores e não consiga dar continuidade aos exercícios. Consequentemente, irá se desmotivar e entrar em um ciclo de desistência.

É preciso entender que o hábito é um comportamento que a gente faz sem pensar, como, por exemplo, escovar os dentes. É algo que faz parte da nossa rotina e não é uma obrigação.

Dessa forma, nos primeiros 21 dias do processo de criação de um hábito e mudança de comportamento, todo o seu sistema nervoso, sua memória e seu senso de identidade irão tentar te impedir.

Mas é preciso focar no resultado final e manter a força de vontade, já que todos os seus pensamentos irão tentar te tirar do caminho, dizendo: “larga isso e volta para o Netflix que é mais gostoso”, “vai ficar com seu namorado ou jogar vídeo game que é mais divertido”.

Ou seja, todo o seu corpo irá tentar impedir a mudança, pois naturalmente ele acredita que é arriscado, e, por medo, prefere continuar fazendo aquilo que tem domínio e é cômodo em sua rotina.

Mas, depois, esse processo começará a se tornar simples e natural, te tornando uma pessoa mais concentrada, com disciplina e planejamento dos seus objetivos.

Durante os primeiros 21 dias, sua força de vontade deverá puxar seus sonhos, enquanto seu corpo e pensamento serão como uma correnteza tentando impedir que você nade.

Após esse período, essa correnteza começará a diminuir e só então começará o processo de criação de hábito, até que você se torne mais forte que a maré.

Se você sobreviver a esses 21 dias, dando seu melhor e com força de vontade, o caminho se tornará mais fácil.

É como se você saísse de um labirinto, onde é difícil de andar e encontrar a saída, e entrasse em uma pista de alta velocidade onde logo irá criar asas para voar ainda mais rápido e alcançar o seu sonho.

*Este artigo foi baseado na publicação original de Victor Ribeiro, criador do treinamento online “Estratégia da Aprovação”.

Fonte: 

2018: a mudança exige método

Ninguém muda da noite para o dia. É necessário força de vontade, empenho e método.

Alice Salvo, 22 de dezembro de 2016 – administradores.com

2018

Entra ano, sai ano e aqui estamos nós, cheios de expectativas, planos e fé numa nova vida. E seja qual for nosso desejo, todos sabemos que ele depende muito mais de nós do que das mandingas de revéillon, do comportamento de quem nos cerca ou do contexto em que vivemos.

Então, se depende de nós, por que transformar 2018 para algo mais próximo dos nossos sonhos é tão difícil? Simples, porque MUDAR é complexo. Mudar exige esforço, empenho e dedicação. E exige também método.

Depois de passar mais de 7 anos estudando e entrevistando os maiores realizadores deste país, entre empreendedores, filósofos e especialistas, percebi que a semente da mudança começa no autoconhecimento.

Você só muda aquilo que conhece. É preciso identificar maus hábitos e comportamentos, detectar pensamentos e emoções nocivas, rastrear atitudes indesejadas e medir o quanto isso tem paralisado e atrapalhado sua vida.

Feito isso, é hora de vislumbrar onde se quer chegar. Antes de sair fazendo, é necessário primeiro criar a MOTIVAÇÃO necessária. Está doente? Se imagine – ou melhor – SINTA como seria se você já estivesse bem de saúde. A falta de dinheiro te incomoda? Foque no sentimento de realização ao comprar aquilo que deseja.

Agora sim, é hora de partir para a prática e começar a planejar a mudança e criar metas. E tem que ser algo específico, mensurável e realista (para saber mais, procure sobre metas SMART). Seu objetivo não pode ser irreal. Ele tem que estar de acordo com você, com seus valores e capacidade de execução. Olha aí de novo o autoconhecimento.

E nada mais eficiente para cumprir um objetivo do que se comprometer com ele. Primeiro, com você mesmo. Escreva a intenção da mudança em uma agenda, no celular ou mesmo em um simples post-it e pregue no espelho do banheiro. Você terá que encará-lo todas as manhãs. Compartilhe sua meta com amigos, familiares e peça ajuda neste desafio. Tenha certeza que seu inconsciente irá trabalhar com mais afinco depois da exposição dos seus objetivos.

E se tem uma coisa que aprendi com os empreendedores é que nenhuma meta é alcançada se você não tiver PERSISTÊNCIA. A motivação te faz começar, mas é o hábito que faz você continuar. E ele só vem com treinamento, repetição, esforço e convicção. Por acaso você acha que é a motivação que faz os corredores estarem às 5 da manhã na rua treinando?

No livro O Poder do Hábito, o autor Charles Duhigg diz que precisamos repetir uma nova ação por alguns dias para que a informação se consolide no nosso cérebro. Os especialistas explicam que 21 dias é tempo suficiente para este trabalho. O hábito nada mais é do que a transformação de uma sequência de ações em uma rotina automática.

Por isso, se quisermos de verdade TRANSFORMAR nosso 2018 e nossas atitudes diante da vida é preciso ter força de vontade, dedicação, e método. As técnicas que transmito neste texto fazem parte da metodologia O Pulo do Gato Empreendedor© que criei depois de longos processo de estudo e prática. Boa sorte na sua jornada!

Nota: Texto adaptado para 2018. Original, 2017.

Como você sabe que não consegue?

Se não sabe, por que você diria isso em voz alta? Por que você se permitiria a pensar nisso? Alcançar o sucesso é duro bastante sem você duvidar de suas próprias habilidades.

Dan Waldschmidt, 16 de novembro de 2016 – Administradores.com

Objetivos

Como você sabe que não consegue alcançar aquele objetivo?

Se não sabe, por que você diria isso em voz alta? Por que você se permitiria a pensar nisso? Alcançar o sucesso é duro bastante sem você duvidar de suas próprias habilidades.
É difícil ser bem sucedido. A rotina diária pode abatê-lo e convencê-lo que seu objetivo não é tão importante como você acreditava que era. É uma batalha por foco e energia, paixão e progresso.

Leia também: Saiba como planejar, criar e conduzir seu próprio negócio.

Então, quando você for confrontado com uma escolha de acreditar ou não acreditar, você deve dar uma chance à si mesmo. Você deve acreditar que pode fazer o que parece impossivelmente louco. Não porque você tem sorte. Não porque você é esperançoso. Mas porque você sabe o quanto isso importa e quanto você deseja alcançar esse objetivo.

Você não vai parar. Você não vai considerar recuar. Vocês está comprometido até o fim. Quando você se encontrar em um momento de descrença, seja deliberado sobre lutar contra essa dúvida. Acredite em si mesmo. Aposte na sua capacidade de se comprometer. Como você sabe que não pode? Você pode.

12 obstáculos que você deve evitar em 2016

Empreender é saber superar obstáculos para alcançar objetivos. E, mesmo diante destes obstáculos, manter o foco no objetivo traçado. Neste artigo você verá como aumentar suas forças e se preparar para vencer os obstáculos, para aproveitar melhor as oportunidades em 2016.

12 obstáculos que você deve evitar em 2016

1 – Achar que é muito novo ou muito velho para planejar o futuro

Os jovens acreditam que têm a vida toda pela frente e os mais velhos que a vida está acabando. Portanto, para que correr para realizar projetos e conquistar resultados?

Leia também:
Não deixe seus medos pararem você
5 dicas para você conquistar uma mentalidade positiva
5 Dicas para ser mais confiante e lidar com dúvidas

Necessidade é algo como a sede, a fome, o frio ou o calor. Se você não beber água, comer ou se abrigar, algo pior acontecerá, podendo ser até mesmo a morte. Quanto mais uma dessas privações durar, mais você se torna vítima dela, mais você se enfraquece e mais a privação se fortalece contra você. Você não tem escolha, você precisa desesperadamente e, no limite, pode beber água suja, comer qualquer coisa e se abrigar, mesmo que seja num estábulo imundo. Você é controlado pela necessidade, é escravo dela, reage a ela.

Já o desejo não. Ele é uma condição de querer, de fazer escolhas, de criar as condições para alcançar aquele objetivo pretendido. Desejos possuem forças que levam você a eles. Desejos geram energia interior e fazem com que você reúna os recursos para alcançá-los. Desejo gera entusiasmo e paixão, ele revigora e movimenta o empreendedor em direção ao seu grande sonho. A camisa deste time é flama pura!

Muitos empreendedores se lançam nesta selva por necessidade, porque perderam o emprego e a única alternativa é criar o próprio negócio. Este não é um bom negócio até porque, nestas circunstâncias, a pessoa não terá nem capital e nem equilíbrio emocional para tocar o negócio que, no início, será muito difícil. Este artigo é sobre obstáculos, portanto, este é um dos piores para se superar, se você estiver no time de negro, o das necessidades.

 3 – Não ter objetivos bem definidos

Existem dois tipos de empreendedores, os que se movem para a busca de um sonho, de uma conquista, de um legado, de um propósito, os que vestem a camisa Flama do item acima. E os que se afastam da dor, os da camisa negra. Estes dois movimentos são gerenciados pela mesma área cerebral, o sistema límbico. A amígdala cuida de evitar tudo que é ruim, sua especialidade é a aversão. Um empreendedor com aversão ao risco, por exemplo, pode perder oportunidades ao demorar muito na tomada de decisões, pois não arrisca para não perder. O núcleo accumbens ou região do prazer gerencia a atratividade.

Para entender isso na prática, escolha aleatoriamente cinco amigos e pergunte a cada um separadamente: “Fulano, o que você quer para 2016?”. A maioria dirá o que não quer que aconteça, coisas como “Não quero fracassar neste negócio”. Isso não é um objetivo. Pelo contrário. É o antiobjetivo. Você mesmo já deve ter dito este tipo de coisa.

Não pense num fusca vermelho. O que veio à sua mente? Um fusca vermelho! Sabe o que provoca este tipo de contradição? O seu cérebro. O cérebro processa experiências e não a linguagem. Portanto, especifique bem seus objetivos, no lugar de dar ordem de evitação ao seu cérebro. Faça seu planejamento com foco nos resultados e preveja os obstáculos não com foco neles, mas sim em quais estratégias e recursos serão necessários para superar tais obstáculos. Assim, no lugar de aversão ou atração descontrolada, você se prepara para saber lidar com os riscos.

4 – Entregar seus objetivos à memória e a Deus

Tenho um amigo que também é PeNeLista (profissional da PNL) que diz que na frase atribuída à Bíblia em que Deus disse: “Faça a sua parte que ajudarei” foram omitidas, pelos tradutores, informações numéricas e que a frase correta é: “Faça a sua parte, 99,9% que ajudarei 0,1%”. Muita gente pensa em seus objetivos, ergue os olhos aos céus e pede a Deus para ajudar na realização desses objetivos. Depois, a própria pessoa esquece disso. Se o dono do objetivo se esquece dele, cujo maior percentual é sua obrigação, imagine se Deus, que tem que cuidar de tanta coisa, além de fazer os 0,1% dele, ainda tenha que lembrar você de seus 99,9%?

Assuma o papel de maestro de seu empreendimento e envolva as pessoas para que cada um seja responsável pelos resultados, prazos e demais métricas que forem atribuídas.

5 – Desperdiçar tempo com coisas sem importância

Sem importância é tudo aquilo que pode tirar você de seu foco, portanto, precisa de um contexto. Se você está trabalhando num projeto, implementando suas etapas e, paralelamente, focando-se em novas ideias e começando um monte de coisas, cuidado, muitas delas, no contexto do sucesso do projeto principal, podem se tornar coisas sem importância.

Se forem ideias, anote-as, se forem tarefas, delegue-as. Mas mantenha suas energias naquele ponto cujo impacto positivo seja maior.

6 – Compartilhar suas ideias com pessoas negativas

Em meu livro “Continuum – Habilidades Essenciais para se dar bem na carreira e na Vida” (Editora Tetrakis), elenco oito habilidades essenciais e uma delas é a Energia Pessoal. Defendo a tese de que temos que nos associar a quem compartilhe de nosso entusiasmo. Isso vale para conquistar aquela pessoa que você deseja ter a seu lado, para contratar um funcionário, para formar uma sociedade e, claro, para compartilhar suas ideias.

Se você compartilhar suas ideias com pessoas negativas elas tenderão a fazer você parecer um idiota por ter tido aquela ideia. Ela falará com você sobre os piores cenários possíveis e contará sobre uma centena de pessoas que fracassaram ao tentar aquilo. Se você disser a esse tipo de pessoa que sua ideia é vender um seguro especial contra pessimismo ela dirá que vai dar errado porque o pessimista é tão negativo que duvida que a seguradora dure mais do que ele.

7 – Dar uma de Zeca Pagodinho

Deixa a vida me levar (Vida leva eu!)” é o refrão da música, na qual o autor e cantor diz que é de origem pobre, mas que tem o coração nobre e noutra parte se diz feliz e agradece tudo o que Deus lhe deu. O ponto da música que diz respeito ao tema que estamos discutindo aqui é este: “Se a coisa não sai / Do jeito que eu quero / Também não me desespero / O negócio é deixar rolar / Deixa a vida me levar (Vida leva eu!).

Zeca não fez o que sua música diz. Ele foi à luta, superou obstáculos, fez parcerias estratégicas e conseguiu ser o que é a ponto de sustentar um projeto social em sua comunidade.

8 – Procrastinar

Do dicionário Michaelis: “Pro.cras.ti.nar – (lat procrastinare) vtd 1 Deixar para outro dia, ou para um tempo futuro, por motivos repreensíveis; adiar: Procrastinar tarefas. vtd 2 Delongar, demorar, retardar: Procrastinar uma decisão. vint 3 Usar de delongas.“.

Ao contrário de deixar a vida levar, de entregar para Deus, procrastinar é ficar, no popular, empurrando com a barriga. Ano após ano você pensa em realizar aquele grande projeto que mudaria a sua vida, mas, vem o Ano Novo, depois o Carnaval e, como disse Martinho da Vila: “Sonho de rei, de pirata e jardineira / Pra tudo se acabar na quarta-feira”.

Não sei por que este não é um dos sete pecados capitais. A procrastinação é a morte de muitos, ela tira das pessoas a disciplina que as permitiria fazer o que deve ser feito e, com isso, conquistar seus objetivos.

9 – Não ter foco, atirar para todo lado

Foco é a concentração de força num ponto pelo tempo determinado para alcançar um objetivo prévio. O raio laser é utilizado em aparelhos da Nasa, em brocas de dentistas, clínicas cirúrgicas e de depilação, leitores de CD e DVDs, equipamentos de solda e corte de precisão, dentre milhares de utilidades, exatamente porque a tecnologia criada, em 1960, por Theodore Maiman, concentra os fótons num feixe contínuo, o que aumenta seu poder e permite grande precisão. Com sua mente é assim também.

A diferença é que se você agir como muitos empreendedores que mudam de negócio conforme a maré, sua mente será uma lanterna que iluminará várias ideias simultaneamente, umas mais do que as outras, nenhuma com muita precisão, não manterá nenhuma sob os holofotes dos resultados por muito tempo e se apagará.

10 – Investir mais nos outros do que em você

A não ser que você seja um guarda-costas, sua vida vale mais do que a de qualquer pessoa. Recebo muitos clientes em cursos e, particularmente, em programas de coaching com a PNL, que reclamam desse problema e todos terminam suas queixas com a frase: “Não consigo compreender por que isso acontece comigo”.

Eu sei. Não somente porque sou um profissional da PNL, um neurocientista do comportamento, mas também, e principalmente, porque isso aconteceu comigo. Isso acontece por causa da incapacidade de dizer não. Isso mesmo. A incapacidade de dizer não leva você à servidão. Isso significa, para você, ser uma pessoa boa. Mas, na prática equivale a ser tão boa, mas tão boa, que essa bondade vira outra palavra iniciada com “b”. Você vira um bobo a serviço dos outros. Fique esperto e se autodesenvolva, sempre, assim você evitará alguns espertalhões que se aproveitam e abusam de sua bondade.

11 – Dizer que é racional e morrer de medo de errar

Em minha jornada pelas neurociências tive debates interessantes sobre o cérebro e o comportamento. As neurociências (assim mesmo no plural) se dividem em 5 níveis de análise: 1) moleculares; 2) celulares; 3) sistemas; 4) comportamentais e 5) cognitivos. Quanto maior o número que identifica cada um dos níveis, mais complexas são as pesquisas em sua área. Ou seja, pesquisar uma molécula ou uma célula é mais fácil e objetivo do que pesquisar um sistema, como o visual, o límbico ou áreas ainda mais complexas como o comportamento e a cognição, cujas questões estão mais na mente do que no cérebro físico.

Muitas pessoas se dizem racionais e morrem de medo de errar, ficam preocupadas, ansiosas e até mesmo deprimidas, nervosas e agressivas com tudo e isso é tão grave que não conseguem perceber que sua racionalidade falha ao não permitir que elas façam uso dessa racionalidade, para se mostrarem equilibradas em momentos de grande exigência de equilíbrio e bom senso. Não tenha medo de dar importância a suas emoções, pois elas são mais fortes do que sua racionalidade.

Para empreender você precisa saber lidar com razão e emoção. Evite a armadilha de achar que se emocionar, sentir medo, obedecer à intuição é algo ruim. Não. Ruim é fingir que é equilibrado e viver se escondendo de uma das coisas que mais empolgam as pessoas, os sentimentos.

12 – Esperar estar preparado para agir

Esta eu vou gastar apenas um pequeno parágrafo para responder. O único momento para o qual estamos preparados, desde a nossa concepção, é para morrer. E, acredito que como eu, você também, queira procrastiná-lo ao máximo.

Para você não ficar atormentado com este último tópico do artigo, veja o maior exemplo de que isso é verdade. Bill Gates nunca esperou estar preparado para fazer acontecer. Ele vendeu um sistema operacional que não existia e correu atrás para produzi-lo e de lá para cá fez isso até se aposentar.

Se você gostou deste artigo, mande-me e-mail que enviarei a você o ebook do qual ele foi retirado.

Fonte: administradores.com.br