Procrastinação

Você é procrastinador?

Aprenda a identificar os sinais da procrastinação no dia a dia

Redação, Administradores.com, 

Procrastinação

istock

Para muitas pessoas, a procrastinação já virou um hábito. Adiar atividades ou demorar um tempo maior do que o necessário para executar uma tarefa é, para muitos, uma regra no dia a dia. Para o especialista e fundador da Febracis, Paulo Vieira, a procrastinação afeta não só o rendimento do seu trabalho, mas toda a sua rotina. "Você costuma se sentir angustiado, ter a sensação de trabalhar sem descanso e não conseguir administrar os seus momentos de lazer com as horas de trabalho? Se a sua resposta for "sim", você provavelmente é um procrastinador", avalia.

Existem muitos motivos que tornam alguém um procrastinador. No entanto, é mais fácil adquirir o hábito quando não temos cobranças externas ou quando parece que temos um tempo longo para executar as tarefas. "Prazeres momentâneos de descanso, por exemplo, podem nos fazer adiar tarefas. Redes sociais ou aplicativos no celular podem atrair a nossa atenção por tanto tempo, que deixamos de fazer as nossas obrigações, ou quando a fazemos, fazemos de forma corrida e a qualidade fica comprometida", pontua Vieira.

Mas como saber se você é um procrastinador? O especialista explica que, muitas vezes, são as atitudes mais simples que podem ajudar a identificar se somos ou não procrastinadores. Por isso, fique atento se você faz parte daqueles que:

  • Se distraem constantemente nas redes sociais;
  • Usam constantemente o botão da soneca;
  • Perdem prazos de inscrição em vagas de trabalho;
  • Adiam as tarefas mais complexas e que exigem mais dedicação e atenção;
  • Perdem mais tempo do que o necessário fazendo tarefas simples;
  • Inventam tarefas momentâneas e, com isso, adiam outras tarefas importantes;
  • Ligam o computador para trabalhar e se perdem navegando em sites da internet;
  • Não tem foco;
  • Não cumprem prazos ou os cumprem no último minuto;
  • Viram noites trabalhando ou estudando;
  • Deixam para fazer as coisas na última hora.

O fundador da Febracis explica que se essas ações fazem parte da sua rotina, você é um procrastinador. "Você está se autoboicotando, impedindo a si mesmo de atingir os seus objetivos e o seu sucesso. Por isso, é importante ficar atento em como essas ações podem estar afetando a sua vida e a sua saúde para tomar as atitudes necessárias", acrescenta.

Como vencer a procrastinação?

Existem muitas técnicas para vencer a procrastinação, mas o primeiro passo é reconhecer quais são os seus gatilhos. Com isso, você poderá identificar quais são os seus autoboicotes para agir sobre eles. No entanto, Vieira dá algumas dicas básicas podem servir para você criar um senso de responsabilidade e urgência, que te ajudarão a parar de adiar seus compromissos.

  • Tenha uma planilha das suas atividades, seja em um caderno ou em um aplicativo;
  • Perceba quais são as suas horas mais produtivas (manhã, tarde, noite) e se organize para tirar proveito desse momento;
  • Comece o seu dia com as tarefas mais importantes;
  • Crie um senso de urgência para não adiar os seus compromissos;
  • Fique longe das distrações, como celular, redes sociais e internet;
  • Encontre prazer no processo de executar as suas tarefas;
  • Crie recompensas para as tarefas executadas e consequências para as que são adiadas;
  • Divida uma tarefa complexa em várias tarefas simples;
  • Buscar alternativas e acompanhamento especializado, como o coaching de alcance de metas, também é essencial para você atingir os seus objetivos.

Leia também: Encontre o prazer naquilo que faz e fuja da procrastinação

5 truques para não enrolar nos estudos

Confira abaixo as principais maneiras de lutar contra a procrastinação, de acordo com a ciência:

5 truques para não enrolar nos estudos

Leia também: 10 Motivos para Estudar Online

1) Tenha uma agenda ou algum caderninho que você pode usar para anotar suas tarefas e faça planos específicos, com data e hora (sim, bem específico). Só fazer a lista não adianta. Quando você coloca um prazo certo, sua produtividade aumenta. Afinal, existe um direcionamento e você pode se comprometer mais diretamente. Aproveite para colocar no papel o passo a passo do que você precisa fazer.

2) Pensar em passar uma tarde inteira estudando física assusta, né? A chance de abandonar essa ideia vai ser grande. Mas, se você destinar, por exemplo, apenas 1 hora do seu dia, as chances de desanimar são menores. E 1 hora é melhor do que nenhuma, certo? A ideia da dica é essa. Se você fizer suas tarefas em pequenos períodos de tempo, você vai ver que ela nem era tão ruim assim e que você já poderia tê-la resolvido há muito mais tempo.

3) Quando perceber que procrastinou, não se odeie. Perdoe-se. Aceite e bola pra frente. Não carregar essa culpa vai ajudá-lo a se tornar mais produtivo.

4) Seu trabalho não vai ficar melhor no futuro do que como ele ficaria se você o fizer agora. Uma das causas da procrastinação é a tendência de a pessoa se cobrar muito. “Tenho que ter um tempão livre para fazer essa atividade porque ela tem que estar perfeita!” ou “Hoje não estou tão bem assim e o trabalho vai sair horrível” são pensamentos que você deve evitar. Tente não exigir tanto de você e verá que será bem mais fácil começar algo.

5) Recompensar-se por fazer coisas que você não quer pode ser um motivador poderoso. Não coma o chocolate antes da tarefa. Diga que vai dá-lo de presente a si mesmo depois que terminar o que está fazendo. Valem como “presentes”: 5 minutinhos de pausa nos estudos para rolar o feed do Facebook ou dar aquela checada no WhatsApp, uma ida ao cinema depois de terminar os estudos do dia ou até uma soneca à tarde se você conseguir adiantar a lição de casa. Seja criativo nessa hora. Quanto mais legal, mais motivador!

E aí, tem alguma dicas que funciona com você? Compartilha com a gente nos comentários!

Fonte: Guia do estudante

Encontre o prazer naquilo que faz e fuja da procrastinação

Pense na vontade por trás da tarefa, isso vai te ajudar a sair do lugar e fazer muito mais

Fuja da procrastinação

A procrastinação é um assunto grande e complexo, mas gostaria de falar sobre um dos fatores que levam as pessoas ao adiamento de suas atividades: a falta de prazer imediato. Recentemente li um artigo, produzido por um PhD em psicologia, que destacava os motivos pelos quais deixamos determinadas tarefas para depois. Com base em uma pesquisa, ele aponta que existem diversas razões para isso, no entanto, como as pessoas estão cada vez mais cercadas por tecnologias e informações, têm inúmeras opções de atividades para realizar e, consequentemente, possuem menos tempo disponível.

Veja também: Melhore sua imagem pessoal e profissional trabalhando seu Marketing Pessoal.

Em grande parte das vezes, isso acontece porque, ao terem acesso a diferentes coisas ao mesmo tempo, as pessoas optam por realizar aquilo que dá um prazer imediato em vez de fazer algo que talvez dê um retorno a longo prazo. Ou seja, por não conseguirem fazer uma ligação do hoje com o amanhã, elas não conseguem visualizar o desejo e acabam adiando as atividades em função do prazer atual. Aliás, esse é um ponto que coincide com a conclusão da pesquisa feita para o meu livro “Equilíbrio e resultado – Por que as pessoas não fazem o que deveriam fazer?”, que fala sobre procrastinação e como executar melhor as tarefas.

Para exemplificar o problema, pense naquele dia em que você precisa fazer um relatório, mas, quando percebe que ele é muito chato, resolve adiar até o último instante. Isso mostra que, a partir do momento em que a pessoa não pensa na importância daquilo que está fazendo, ela não tem uma sensação de bem-estar. Para reverter isso, pense no que está por trás de sua atividade, como um trabalho que até o presidente da empresa vai ler ou que ajudará a gerar um resultado positivo para toda a equipe.

Um exercício bom para fugir do problema é avaliar aquilo que você fez hoje, o que não conseguiu concluir e também os benefícios que essas tarefas trarão. Quando existe um desejo de chegar lá, você traz a vontade de concluir para o presente. Ao fazer isso, é possível ter muito mais prazer na execução do que simplesmente pensar na tarefa atual.

Então, quando for fazer alguma coisa que tem adiado há tempos, como um livro que nunca consegue terminar de ler, pense da seguinte forma: quando eu terminar essa leitura, o que isso vai agregar para a minha vida e carreira? Imagine o momento positivo e traga a experiência do futuro para o tempo presente. Dessa forma, você vai saber que terminar aquilo vai ajudar a trazer um sentimento bom.

Claro que a procrastinação é um assunto gigantesco, tem vários fatores que podem ajudar a procrastinar menos, mas esse é um ponto que foi identificado tanto no artigo que li como na pesquisa feita para o meu livro. Pense na vontade por trás da tarefa, isso vai te ajudar a sair do lugar e fazer muito mais.

Fonte: administradores.com.br

A Síndrome da Procrastinação

Deixar as decisões importantes para depois prejudica a vida pessoal e profissional

Por Luiz Carlos Cabrera – http://vocesa.uol.com.br/

Procrastinação

Tenho observado um comportamento nos jovens profissionais que muito me preocupa. Trata-se do ato de procrastinar, verbo definido pelo dicionário Aurélio como “transferir para outro dia, adiar, delongar”. No jargão popular, procrastinar é o velho “empurrar com a barriga”.

Leia também:
8 atitudes para gerenciar melhor seu tempo
10 dicas para seu tempo render
Concursos: 5 dicas para você conseguir tempo de estudar

É muito comum que os jovens deixem para depois uma série de decisões sobre suas vidas pessoais e suas carreiras. Parece haver uma enorme dificuldade em lidar com questões, enfrentar conflitos e encerrar ciclos. Conheço muitas pessoas que adiam decisões importantíssimas, como sair da casa dos pais, casar, ter filhos ou deixar uma empresa. Decisões que deveriam ter sido tomadas há muito tempo. Por quê? O que falta aos jovens talentos para que possam tomar suas decisões?

A primeira reação é culpar a conjuntura. Será? A segunda reação é culpar a dificuldade que os jovens têm de fazer um bom diagnóstico. Será? A terceira reação é culpar os pais dessa nova geração, como faz o grande educador Bernardo Toro que costuma dizer que esse problema deriva de um excesso de protecionismo dos pais, que mantém os filhos distantes da realidade e assumem eles mesmos as decisões que deveriam ser tomadas pelos jovens. Será?

A verdade é que há um contrassenso nesse assunto. Os executivos costumam decidir rapidamente quando se tratam de problemas práticos do trabalho, mas derrapam no plano mais pessoal. Há um conjunto de decisões que são procrastinadas, como investir no aprendizado de uma língua estrangeira, terminar um relacionamento que se arrasta, ter uma discussão ampla sobre o seu futuro com o seu chefe, falar sobre sua insatisfação com sua remuneração… Tudo se arrasta na esperança de que o tempo resolva. Mas o tempo não resolve.

Isso apenas drena a energia, prejudica o foco e impede que os profissionais assumam novos desafios. O ato corajoso de se conhecer melhor para saber quais problemas precisam ser resolvidos previne a síndrome da procrastinação e evita que a sua saúde e seu desempenho sejam afetados. Não empurre para frente. Enfrente seus medos, seus fantasmas e feche seus ciclos. Você será uma pessoa melhor, mais feliz, mais produtiva e mais útil para a sociedade. E a nossa sociedade está precisando – e muito – de todas as competências disponíveis.