Passo a passo para escolher a profissão

Passo a passo para escolher a profissão

Confira um roteiro com 13 etapas para você se sentir pronto para essa grande decisão

Por Lisandra Matias | 4 maio 2018, 15h42 – Publicado em 4 maio 2018, 15h15

Passo a passo para escolher a profissão

(imagem: istock) (iStock/iStock)

Está chegando o grande momento! Você, provavelmente, está no final do Ensino Médio ou no cursinho e, depois de pensar muito, terá que tomar a primeira grande decisão da sua vida: “que curso vou fazer”? O primeiro semestre do ano é a época ideal para você começar a refletir sobre isso. Assim, você terá tempo para pesquisar, tirar suas dúvidas e se preparar para essa importante escolha. Confira um roteiro, com 13 passos, que vai te ajudar a encontrar sua opção de forma mais consciente e tranquila.

1) Descubra quem é você

Só se conhecendo bem você consegue identificar suas preferências. Conhecer-se é fundamental para você conseguir se projetar numa carreira. Lembre-se que o trabalho costuma ocupar grande parte do dia e define um estilo de vida. Por isso, é importante que você se identifique com os temas, as pessoas e os ambientes que farão parte do seu cotidiano. Para esse exercício de autoconhecimento, considere suas características pessoaisinteresse e valores, refletindo sobre questões como:

– você é introvertido ou extrovertido? Agitado ou mais tranquilo?

– tem facilidade em se relacionar com muitas pessoas, ou se sente mais confortável em pequenos grupos ou sozinho?

– prefere atividade em ambientes fechados ou ao ar livre, em contato com a natureza?

– tem espírito aventureiro, aberto a novas experiências e desafios, ou prefere uma rotina mais definida?

– que assuntos que mais o atraem? Sobre quais temas você gosta mais de se informar?

– quais seus hobbies?  O que gosta de fazer no tempo livre?

– quais são suas principais habilidades, qualidades e pontos fortes?

– e os seus pontos fracos?

– em que tipo de situação ou atividade se sente bem? Em quais se sente desconfortável?

COMO O GUIA DO ESTUDANTE PODE AJUDAR: ao fazer testes de orientação profissional, você terá que refletir sobre seu jeito de ser e preferências. Veja esses testes:

2) Reveja o passado

Conhecer-se também é rever o passado e identificar as influências recebidas ao longo da vida, já que o ambiente em que nascemos e crescemos determina os nossos valores. Não é raro, por exemplo, alguém pensar em ser advogado porque essa é a profissão tradicional na família. Ou psicólogo, porque tem um temperamento conciliador e compreensivo. Essas opções não devem ser descartadas, mas precisam ser confrontadas com o seu perfil e um conhecimento mais aprofundado de cada área de atuação. Também é preciso ter coragem para quebrar a corrente de modelos que você seguiu até agora, conquistar autonomia com relação a seus pais e amigos.

3) Considere sua vida escolar até então

Como foi sua vida escolar até então? Analise seu desempenho, lembre-se das disciplinas em que tinha mais facilidade ou dificuldade e considere até o seu comportamento e perfil de estudante (ser era líder, mais ou menos extrovertido etc). Porém, cuidado: não é porque gosta de História que terá que escolher esse curso. Mas é uma informação a mais que não pode ser ignorada.

4) Projete-se para o futuro

Os orientadores profissionais são unânimes em dizer que é fundamental que a sua escolha profissional esteja atrelada ao seu projeto de vida, ou seja, ao que você vislumbra para o seu futuro. Pergunte-se como você imagina estar daqui a dez anos: Que estilo de vida gostaria de ter? Com que perfil de pessoas gostaria de conviver? E, finalmente, o que você deseja conquistar com a sua profissão?

5) Pense nas suas prioridades

Ao fazer o passo 4, alguns valores que são muito importantes para a escolha vão ficando mais claros. Para algumas pessoas, a importância dada para a realização pessoal fica muito mais evidente do que a situação financeira. Para outros, a remuneração fala mais alto. É importante você perceber o que é fundamental para você.

6) Informe-se muito

Existem mais de 250 profissões estabelecidas no mercado. E, em cada uma delas, há muitas áreas de atuação. Tente conhecer o maior número possível de cursos e profissões. O seu futuro pode estar numa área que você nem sabia que exista!

COMO O GUIA DO ESTUDANTE PODE AJUDAR: Veja a lista de cursos. Ela está dividida em 8 áreas de conhecimento. De cada opção, você encontra informações sobre a profissão, as áreas de atuação, o mercado de trabalho e o curso.

DICA: Pense em fazer um rodízio de leitura com os amigos para dar conta de conhecer mais áreas e cursos. Cada um lê uma área e depois compartilha com o grupo.

7) Veja vídeos de profissionais

Confira também se o curso que você tem interesse possui vídeo no canal Na real, que traz a rotina de diferentes profissionais. Assim, você terá uma visão mais concreta de como é o ambiente de trabalho e o dia a dia da profissão.

8) Faça uma seleção

Depois de se informar sobre os cursos e profissões (passo 6) e assistir aos vídeos que mais lhe interessaram (passo 7), tente fazer uma lista com os cursos “finalistas”. A ideia é combinar seu exercício de autoconhecimento com as características de cada profissão.

9) Pesquise na internet

Ao conseguir chegar em uma lista menor de possiblidades, é hora de arregaçar as mangas e descobrir se aquilo que você imagina sobre o curso condiz com a realidade. Então que tal entrar em sites de faculdades que oferecem os cursos que você mais gostou para checar informações como a grade curricular? Assim, você terá uma boa ideia do que vai encontrar durante o curso e poderá avaliar seu interesse nesses temas.

10)Visite faculdades

Se você quiser ir ainda mais fundo na sua pesquisa, o passo seguinte é visitar uma faculdade e conferir de perto como são as aulas e a rotina de estudos do curso que você tem em mente. Vá até o local, sinta o clima e troque ideias com alunos e professores. Pergunte quais são os pontos fortes e fracos do curso. Vale fazer uma listinha com tudo o que deseja saber. O importante é não ficar com dúvidas. Veja exemplos de perguntas:

  • Para os alunos: quais os aspectos do curso você mais gosta? E quais menos gosta?
  • Além das aulas, que outras atividades são oferecidas aos alunos?
  • Quais as principais áreas de atuação do profissional formado?

COMO O GUIA DO ESTUDANTE PODE AJUDAR: Digite o nome do curso na busca (na barra superior, à direita). À esquerda, aparecerá o quadro “Filtrar por”. Clique em “graduação” e selecione os filtros de seu interesse (por localização/estado e, em seguida, por nome da universidade, por exemplo).

 11) Fale com profissionais

Agora que você já tem uma (ou algumas) opções em vista, que tal submetê-las a uma “prova de fogo”? Para reafirmar sua escolha (ou mudá-la enquanto é tempo) um bate-papo com profissionais da área é um tira-teima poderoso. Assim, você terá uma visão mais concreta de como é o ambiente de trabalho e o dia a dia da profissão.

Procure, por meio de seus amigos e parentes, alguém que trabalha na área de seu interesse. Agende um encontro, de preferência no local de trabalho da pessoa. Observe o ambiente e o modo como as pessoas desempenham suas atividades. O clima é mais formal ou informal? Os horários são fixos ou maleáveis? Coisas assim simples fazem a diferença no dia a dia.

Não se esqueça de questionar como é a rotina daquele profissional. Exemplos de perguntas que você pode fazer:

  • Quais são as principais atividades que fazem parte da sua rotina?
  • Quais os pontos fortes e fracos dessa profissão?
  • Que características são importantes para atuar nessa área?

12) Considere o mercado de trabalho

Um outro componente importante é saber a quantas anda o mercado de trabalho da profissão de seu interesse. Quais as perspectivas de remuneração ao longo da carreira? É claro que, até você se formar, a oferta e a procura de profissionais de uma área deverá se alterar consideravelmente. Mas, se conseguir enxergar as tendências do mundo e do Brasil, ficará mais fácil perceber as carreiras que provavelmente terão boas perspectivas quando você tiver o canudo em mãos. Por exemplo, você deve saber que o mundo e o Brasil estão envelhecendo – é cada vez maior a proporção de pessoas com mais de 60 anos sobre a população total. Ao mesmo tempo, as pessoas vivem cada vez mais tempo. Isso já é uma bússola que indica que carreiras voltadas ao público da terceira idade, como geriatria e fisioterapia, tendem a se valorizar.

13) Frequente feiras de profissões

Uma boa pedida para ter as várias informações de que precisa – sobre cursos, dia a dia do profissional e mercado de trabalho – reunidas num só local é visitar feiras de profissões. Várias universidades realizam esse tipo de evento. O GUIA DO ESTUDANTE também tem a sua feira, desde 2006. Durante três dias e em um só espaço, é possível entrar em contato com as instituições de ensino superior expositoras, assistir palestras com profissionais e personalidades sobre suas trajetórias e experiências, realizar testes vocacionais e simulados e participar de gincanas e games. Em 2018, ela vai acontecer de 13 a 15 de setembro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo (SP). Veja aqui o que rolou na Feira do Guia do Estudante em 2017.

Fonte: Guia do Estudante

Para decidir seu futuro profissional, é fundamental entender a diferença entre profissão e carreira

Por Maíra Habimorad*

Carreira e Profissão

Este é o primeiro de muitos textos que irei compartilhar com vocês para discutirmos elementos e conceitos importantes sobre carreira.

Sabem, eu amo o que faço. Poder ajudar as pessoas a identificar e por em prática seus talentos me dá uma alegria imensa. Toda vez que vejo alguém super talentoso, seja um marceneiro, cantor ou filósofo, sinto aquele calorzinho no coração. Espero poder ajudar cada um de vocês a encontrar seus talentos e vivenciá-los. Vamos juntos?

Para podermos fazer uma boa escolha, antes de tudo temos que entender a diferença entre profissão e carreira.

Profissão é aquilo que estudamos e nos preparamos para executar. Um médico cardiologista estuda medicina e se especializa em cardiologia.

Carreira é a estrada que se deseja seguir, o estilo de vida e tipo de atuação que se deseja ter. Se um médico cardiologista decide que seu caminho é ajudar àqueles que mais precisam, pode atuar como um médico em uma organização como Médicos Sem Fronteiras. Se quer um caminho de estudos e pesquisas em um laboratório, pode escolher a carreira de pesquisador e trabalhar no desenvolvimento de vacinas, por exemplo. Ainda, se deseja ter uma vida de empreendedor, pode abrir sua própria clínica.

São conceitos irmãos, porém independentes. Podemos ter a mesma profissão e trilhar carreiras bem distintas. E é muito comum que as pessoas, ao longo da vida, tenham mais de uma profissão e sigam inúmeras carreiras que podem variar de acordo com seus interesses e momento de vida.

Profissão nós aprendemos estudando e carreira é uma opção.

*Maíra Habimorad é presidente da Cia de Talentos. Estudou Relações Internacionais e Economia na FAAP e é coach certificada pela Associação Brasileira de Coaching. Tem mais de 15 anos de experiência em recrutamento, seleção e gestão de programas de desenvolvimento de trainees, estagiários e gestores.

Fonte: Guia do Estudante

Mães: como gerenciar o tempo para dar conta da carreira e da família

Muitas mulheres reclamam dos afazeres domésticos e poucas conseguem compartilhar essas responsabilidades com seus cônjuges ou familiares

Já faz alguns anos que as mulheres decidiram trocar o tempo dedicado ao lar para conquistar o seu espaço no mercado profissional. No entanto, a falta de tempo para se dedicar aos filhos é uma questão que ainda atormenta boa parte delas.

Leia também: Saiba como otimizar seu tempo e melhore sua qualidade de vida.

Em uma pesquisa que realizamos há alguns anos pela Triad PS, constatamos que, do total de 6.631 mulheres entrevistadas, 61% afirmaram não conseguir equilibrar sua vida pessoal e profissional. Estes números refletem a angústia que as mulheres sentem por não gerenciarem seu tempo de maneira eficaz para serem boas profissionais, mães e esposas ao mesmo tempo. Outra reclamação constante é a falta de tempo para a realização das atividades domésticas, pois se não bastassem os raros momentos que elas têm para os filhos, muitas precisam também dedicar parte deste tempo aos afazeres de casa.

Planejamento e gestão do tempo

A saída é aprender estratégias eficazes de planejamento e gestão do tempo para entender que não dá para fazer tudo. É preciso cada vez mais saber selecionar as atividades e pessoas realmente importantes, utilizar mais a palavra “não” e planejar em equipe, seja ela profissional, para reduzir as urgências, ou familiar, para ter mais tempo com a família.

Muitas mulheres reclamam dos afazeres domésticos e poucas conseguem compartilhar essas responsabilidades com seus cônjuges ou familiares. Todos têm de se conscientizar que a divisão das tarefas entre homens e mulheres é uma forma saudável de equilíbrio e de cumplicidade no relacionamento.

Programação familiar

Outro hábito importante de adquirir é começar a se programar já no domingo junto com a sua família. Coloque em uma agenda ou num software as suas obrigações e compromissos. Lembre-se ainda de reservar um tempo para atualizar seus e-mails e inclua sempre tarefas pessoais na agenda, como ir ao cabeleireiro, fazer as unhas, fazer uma atividade física ou sair com as amigas.

Claro que nem sempre o planejamento será totalmente executado, afinal, os imprevistos podem aparecer. A luta, então, é antecipar ao máximo as urgências e nunca planejar 100% do seu dia, deixe pelo menos 30% do tempo livre para os possíveis imprevistos. Sempre que puder, comece pelas coisas mais simples e fáceis e depois foque em resolver suas urgências para então dedicar tempo às tarefas realmente importantes. Isso fará com que você se sinta mais dona do seu tempo e verá que o tem realmente nas mãos.

Tempo para os filhos

Além disso, pensando no seu papel de mãe, tenha uma estratégia de periodicidade de tempo com seus filhos. Isso significa momentos curtos, constantes e com alta qualidade. Se não é possível dedicar horas do seu dia para as crianças, destine 20 ou 30 minutos pelo menos, mas que sejam instantes comprometidos em ouvir, brincar e viver com o seu filho. Desligue a TV, o smartphone, as preocupações diárias e foque exclusivamente neles. Esses intervalos regulares com qualidade ajudam a criança na percepção da presença materna, mesmo com uma agenda de trabalho agitada.

Disso tudo, a lição que pode ser tirada é de que por mais que as mulheres pareçam os seres mais fortes do mundo, elas precisam de ajuda, de planejamento e de organização para exercerem de melhor maneira possível os seus tantos papéis, de mãe, de profissional, de esposa e de mulher. A mulher precisa cada vez mais ser a dona do seu tempo.

Fonte: administradores.com.br

Profissões que não faltam vagas

Quem são os profissionais para quem nunca faltam oportunidades? Aqueles que podem escolher onde trabalhar e se dar ao luxo de desdenhar ofertas que seriam consideradas vantajosas pelos demais?

A resposta está num levantamento feito pelo site de empregos Catho, a pedido da VOCÊ S/A, sobre as 15 carreiras de nível superior com salário acima de 3.000 reais e maior quantidade de vagas anunciadas de 2011 a 2013. Entre as campeãs de contratações, aparecem funções como executivo de vendas, gerente comercial, supervisor de produção e gerente operacional.

Para os especialistas em mercado de trabalho, são carreiras que atendem à atual necessidade das empresas de fazer mais com menos para alcançar suas metas, em tempos de crescimento moderado da economia. “É preciso aumentar a produtividade e só há duas maneiras de fazer isso: vendendo mais ou aprimorando processos de gestão”, diz Juliano Ballarotti, diretor da empresa de recrutamento Hays, em São Paulo.

1º Corretor de Imóveis 

O acesso facilitado ao crédito e o aumento do preço dos imóveis nos últimos anos deixaram a profissão em alta. Entretanto, a remuneração com base em comissões faz com que a carreira tenha grande rotatividade, o que também explica o alto número de vagas para corretores.

Veja também como analisar e avaliar diferentes tipos de imóveis.

2º Executivo de Vendas

Responsável por identificar e prospectar clientes, esse executivo analisa as tendências do mercado e a concorrência para mapear oportunidades e planejar estratégias de vendas que permitam à empresa alcançar suas metas.

Salário médio: 3 400 reais

3º Gerente Comercial

O gerente comercial define estratégias para a comercialização de produtos e serviços, por meio de estudos sobre potencial de vendas, para aumentar a participação da empresa no mercado e fazê-la atingir os resultados planejados.

Salário médio: 5 066 reais

4º Gerente de Contas

Por gerenciar a carteira de clientes e captar negócios, esse profissional é fundamental na elaboração de propostas comerciais e na negociação de contratos.

Salário médio: 5 200 reais

5º Contador

Com o aumento do controle do governo sobre a contabilidade das empresas e a complexa legislação tributária brasileira, a procura pelos contadores tem crescido.

Veja também como fazer balanços, demonstrativos contábeis, entre outros.

Salário médio: 4 067 reais

6º Programador Java

Esse especialista desenvolve, testa e implementa sistemas que usam a linguagem Java. A multinacional Cisco foi uma das que contrataram profissionais da área no ano passado, com a inauguração de um centro de inovação no Rio de Janeiro. Novas oportunidades ainda devem ser criadas pela empresa, que anunciou investimento total de 1 bilhão de reais para os próximos quatro anos no Brasil.

Salário médio: 4 800 reais

7º Analista Programador

Esse profissional implementa novos sistemas e dá manutenção nos já exis­tentes fazendo atualizações e ajustes para acompanhar as mudanças nas necessidades dos usuários.

Salário médio: 3 900 reais

8º Gerente Financeiro

Faz o planejamento financeiro e elabora planos para a melhoria do desempenho econômico-financeiro da empresa, o que o torna decisivo em tempos de crescimento moderado dos negócios e necessidade de cortar custos.

Salário médio: 7 000 reais

9º Supervisor de Produção

Promove o uso adequado de instalações e equipamentos de uma fábrica, monitorando custos e qualidade. Esses profissionais terão oportunidades na fábrica da Ambev em Ponta Grossa, no Paraná, que vai abrir 500 vagas até a inauguração, em dezembro.

Salário médio: 3 667 reais

10º Gerente Operacional

Pode atuar tanto na indústria como no setor de serviços, garantindo que a empresa atenda adequadamente às necessidades dos clientes. Por estar envolvido no aumento da produtividade da organização, está em alta no mercado.

Salário médio: 5 933 reais

11º Coordenador de vendas 

Com o crescimento da economia brasileira com base no consumo, o varejo ficou aquecido e colocou em destaque esses profissionais, responsáveis por coordenar as vendas, orientar os representantes e analisar o desempenho da equipe, buscando o cumprimento das metas.

Salário médio: 3 700 reais

12º Gerente de projetos

Esse profissional planeja e acompanha a execução de um projeto, a fim de cumprir metas, prazos e custos estabelecidos. A carreira deve continuar em alta, já que 422 hotéis serão construídos no país até 2016, segundo o Ministério do Turismo.

Salário médio: 8 733 reais

13º Supervisor de logística

Gerencia atividades de expedição e logística monitorando a descarga, o envio e a armazenagem dos produtos. Com o consumo em alta, muitas empresas estão construindo novos centros de distribuição e abrindo vagas para esses profissionais.

Salário médio: 3 400 reais

14º Auditor

O auditor analisa documentos contábeis e os controles internos da empresa para assegurar a execução adequada dos procedimentos administrativos e comerciais. Em companhias de capital aberto, garantem a transparência das contas.

Salário médio: 3 867 reais

15º Analista de Projetos

Planeja, controla e acompanha os projetos criando controles detalhados, alinhando prazo de entrega, prioridades e qualidade.

Salário médio: 3 367 reais