O poder da resiliência para a longevidade de um negócio

Seja por incentivo do governo ou pelo próprio perfil do brasileiro, abrir o próprio negócio (empreender) tem se tornado cada vez mais comum no país. Daí a fazer sucesso, porém, já são outros quinhentos. De acordo com o índice de sobrevivência de empresas, divulgado pelo Sebrae, 24,4% delas não passam do segundo ano de vida. O índice de falência e recuperação da Serasa Experian indica que foram 1.758 os pedidos de falência no Brasil em 2013. Desses, 1.014 (58%) foram de micro e pequenas empresas.

Mesmo com a falta de planejamento, visão equivocada e dificuldades do dia a dia, é possível dar a volta por cima e rever os erros. Nesse sentido, aprender a lidar com os problemas é fundamental. Ser resiliente em um momento adverso fará a diferença entre um empreendedor vitorioso e um falido.

Veja também: Conheça técnicas e métodos de Planejamento Estratégico.

Segundo a psicóloga Priscila Tenenbaum, especialista em resiliência, ensinar de forma preventiva a enfrentar e identificar os pensamentos sabotadores, que paralisam as ações, favorece o pensamento racional e otimista. “Nossos sentimentos e ações são influenciados por nossos pensamentos. O sumento da autoconfiança, que é o quanto acreditamos ser capazes de realizar no mundo aumenta a segurança de empreender”, analisa a psicóloga.

Estudos apontam que a felicidade aumenta a produtividade e melhora o ambiente de trabalho. “Resiliência tem a ver com a flexibilidade cognitiva e afetiva. Assim sendo, favorece o desempenho em situações estressantes mantendo a saúde do funcionário e sua qualidade de vida”, completa a especialista.

Fonte: administradores.com.br