Como se preparar para a maratona de provas do Enem e vestibulares

Confira dicas para os dias pré-vestibular, alimentação na prova e controle da ansiedade

Por Marcela Coelho | 19 out 2018, 10h20 – Publicado em 1 nov 2017, 10h54

Estudar antes da Prova

(Wavebreak/iStock)

 

Os finais de semana mais aguardados do ano por muitos estudantes estão batendo à porta. Dias 4 e 11 de novembro serão realizadas as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Logo após, dia 15 acontece a primeira fase da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Em seguida, é a vez da primeira etapa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) em 18 e 25 de novembro, respectivamente.

Este mês será uma verdadeira maratona para quem vai prestar todos esses vestibulares. Para manter a calma na reta final de estudos e se preparar fisicamente e emocionalmente, é fundamental manter uma rotina regrada.

“O estudante precisa seguir uma rotina de estudos, de sono e alimentação. Esse não é o momento de passar noites em claro ou pular refeições para estudar. Isso é a pior coisa que pode ser feita para o equilíbrio emocional. Também é importante ter cuidado para não cometer excessos por causa da ansiedade”, aconselha a diretora do Colégio Stockler, Mariana Stockler.

Outra dica para as semanas que antecedem as provas é não acelerar no ritmo de estudos. De acordo com Mariana, o máximo que deve ser feito é continuar na mesma intensidade que já era seguida antes, desde que não leve o vestibulando à estafa.

Para os alunos que estão calmos e seguros em relação aos conteúdos dos exames, agora é a fase para se concentrar nos pontos da curva. “Nessa estratégia é preciso separar o que é dominado pelo estudante e o que ele sabe pouco. Ao se dedicar no que já sabe, os pontos das questões que cobrarem esses assuntos estarão assegurados. Já quando ele estuda o que não sabe, fica mais fácil de superar a dificuldade e garantir mais acertos por conta do esforço maior nessa etapa final”, diz à diretora.

Por outro lado, para o vestibulando que está tenso e inseguro, a melhor estratégia é fazer uma “varredura de tudo”, porém sem aprofundamentos. “Só para ele ter a sensação de familiaridade e não entrar em pânico ao achar que não entende nada”, fala Mariana.

Uma indicação que pode ser feita por todos que se preparam para a maratona é resolver edições anteriores da prova que vai prestar. “Mais do que aprender o conteúdo, isso dá um traquejo ao tipo de questão, mostra como o assunto é abordado e ajuda a traçar uma estratégia.”

No dia anterior à realização de um vestibular, a recomendação é descansar e se organizar para o exame. As dicas são: conferir o caminho que deve ser feito até o local do teste, separar os documentos obrigatórios e materiais que serão utilizados e pensar em quais lanches levar.

Mariana explica que todas essas pequenas atitudes são necessárias para que o estudante se sinta mais tranquilo e mantenha o controle da situação.

A diretora do Colégio Stockler ainda acrescenta: “Estudar na véspera de prova não deve ser feito de jeito nenhum. Para descontrair e relaxar, é importante assistir a um filme. Além disso, evitar atividades radicais que possam machucar”.

Alimentação

Comer bem faz parte da preparação do vestibulando. Isso significa que é importante fazer todas as refeições diárias, como café da manhã, almoço, janta e inclusive lanches leves intercalados.

Para o dia da prova a orientação é deixar de lado a feijoada e preferir alimentos mais leves e de fácil digestão. Segundo Mariana, uma boa pedida para consumir durante o teste são frutas, chocolates e muita água. Além de serem alimentos que dão energia, são de fácil manuseio. “Vale a pena investir na simplicidade e em comidas que o aluno já sabe que o organismo aceita.”

Ansiedade

Uma sensação muito comum entre os candidatos nessa época é a ansiedade. O problema é que se isso não for controlado, pode ocasionar até problemas físicos e refletir no resultado final.

“Caminhar é muito bom para controlar um pouco a ansiedade pré-vestibular, mas sem exageros. É só para transmitir bem-estar e ajudar a dormir. Fazer atividades ao ar livre e tomar um sol também costumam acalmar“, sugere Mariana.

Entretanto, caso ocorra uma crise de ansiedade no meio do exame, a principal dica é levantar, ir ao banheiro, jogar uma água no rosto, respirar fundo e comer alguma coisa. “Todos esses movimentos ajudam a serenar”, afirma à diretora.

Sucesso nas provas!

Fonte: Guia do Estudante

5 dicas para controlar a ansiedade antes do Enem

Diminuir o nervosismo pode garantir um bom desempenho na prova

80 dicas para estudar cada matéria do Enem e vestibulares

Professores ouvidos pelo Guia do Estudante contam 10 estratégias para encarar cada matéria

da redação | 29/09/2016 18h 56 (Guia do Estudante)

Estudar

A poucas semanas do Enem e de outros vestibulares, não adianta tentar estudar de uma vez tudo o que vai cair na prova – seria um esforço tremendo para alcançar algo praticamente impossível. Agora é hora de usar seu tempo da maneira mais esperta possível. Como? Priorizando, ou direcionando o seu foco para aquilo que for mais importante em cada área do conhecimento.

Leia também: Qual é a diferença entre ocupação, profissão e carreira?

Há temas que são cobrados com muito mais frequência, enquanto outros podem consumir um enorme tempo de estudo, mas quase nunca aparecem na prova. Para ajudar você a fazer seu tempo render e direcioná-lo àquilo que for mais importante, o Guia do Estudante conversou com professores de cada matéria e reuniu um total de 80 dicas para lidar com elas. Essas dicas incluem conteúdos e as estratégias mais apropriadas a cada uma.

Para acessar, siga os links abaixo:

10 dicas para estudar Português
10 dicas para estudar Inglês
10 dicas para estudar História
10 dicas para estudar Geografia
10 dicas para estudar Física
10 dicas para estudar Química
10 dicas para estudar Biologia
10 dicas para estudar Matemática

13 estratégias para turbinar a capacidade de estudo

Não há nada mais desmotivador do que chegar ao fim da página de um livro e perceber que a concentração foi embora entre um parágrafo e outro, e com ela, levou também a sua capacidade de retenção das informações.

Leia também:

5 DICAS PARA VOCÊ CONSEGUIR TEMPO DE ESTUDAR
5 HÁBITOS DIÁRIOS DE EMPREENDEDORES BEM SUCEDIDOS
COMO TIRAR O MELHOR PROVEITO DO ENSINO À DISTÂNCIA

Quando o volume de leitura exigido é grande, adotar estratégias é essencial para não ficar a ver navios enquanto os ponteiros do relógio dão voltas e os livros, um “baile” em você.

Mas, antes de sair em busca de soluções milagrosas, como o uso de remédios controlados, veja o que indicam três especialistas em técnicas de estudo para concursos públicos. As dicas estão divididas em três blocos (concetração, leitura rápida e retenção de informações) e valem para concurseiros, universitários e vestibulandos:

Para turbinar a concentração

1. Cuide do seu estado mental

“Não se consegue a alta performance de repente, sobretudo, para quem está afastado dos estudos há muito tempo”, diz José Roberto Lima, autor do livro “ Como passei em 15 concursos” (Editora Método).

De acordo com ele, com o hábito de estudar o rendimento melhora. “A persistência desenvolverá outro atributo importantíssimo: o prazer de estudar e de aprender”, diz.

2. Bloqueie distrações

“Isso significa desligar o celular para não ter mensagens chegando toda hora, sair do computador, fechar a porta do quarto e avisar para não ser perturbado”, diz Marcello Leal, professor do site Questões de Concursos.

Aquela escapadinha para conferir a timeline do Facebook é tão irresistível quanto prejudicial. “O cérebro perde a concentração que vinha mantendo e, para reiniciar o processo, demanda tempo e energia”, diz.

3. Escolha o ambiente adequado

A luminosidade deve ser apropriada, assim como a tranquilidade do ambiente. “Se a casa tem muita gente ou muita distração, o ideal é procurar uma biblioteca”, indica João Mendes, coordenador do curso Ênfase.

4. Mantenha postura correta

Estudar na cama só é bom para embalar o sono. “A pessoa deve evitar ler deitada ou escorada, e, sim, ler sentada, com a coluna ereta, o joelho dobrado a 90 graus e não ficar com a cabeça excessivamente baixa”, diz Mendes.

5. Faça pausas

“Saiba também que não dá para ficar concentrado durante muito tempo, então é importante estabelecer metas e prazo”, diz Marcello Leal, professor do site Questões de Concursos.

Estude por no máximo 50 minutos antes de fazer um intervalo. Depois se dê até 10 minutos de descanso antes de voltar para os estudos. Durante a pausa, levante da cadeira, faça alongamentos, ande um pouco, indica Leal.

6. Use o seu relógio biológico a seu favor

Você é do tipo matutino, vespertino ou noturno? “Cada pessoa possui um período do dia no qual produz mais. Seja ele pela manhã, tarde ou noite, trate esse momento como sendo o mais importante e estude durante ele os pontos mais difíceis”, diz Leal.

7. Pratique técnicas de leitura dinâmica

“Cursos voltados para leitura dinâmica podem ajudar”, diz Lima. Usar os dedos para acompanhar a leitura, marcar o tempo para ler uma página e verificar os progressos feitos são algumas dicas.

Mas não tenha pressa. “Existem temas, como Direito, por exemplo, em que se exige muita concentração. É necessária a compreensão de que determinados temas exigem leitura atenta e não tão rápida”, diz Lima.

8. Foco

“Para ler mais rápido é necessário que sua mente esteja alerta e focada naquela única atividade que está desempenhando”, diz Leal.

Melhor do que leitura dinâmica é apostar em foco exclusivo no texto, explica Leal. “Como diria o monge budista Thich Nhat Hanh, ao tomar o seu chá, apenas tome o seu chá e não seus problemas e ansiedades”, afirma.

9. Sublinhe o texto

Marcar trechos mais importantes do texto ou marcá-lo com outras cores também é um conselho dos especialistas.

Para aumentar a retenção de informações

10. Leitura dupla

“Muitos estudantes preferem fazer uma primeira leitura rápida sem se preocupar com detalhes e depois fazer uma segunda leitura mais detida”, diz João Mendes, coordenador do Curso Ênfase.

11. Resumo

Ler e resumir é uma forma bastante eficaz de fixar o conteúdo, segundo Mendes. O ponto negativo desta técnica é o tempo. Se ele estiver curto, melhor usar outras estratégias.

12. Procure exemplos do que foi estudado

Buscar exemplos práticos da teoria é uma estratégia que dá resultado, afirma Leal. “Quando você vivencia uma situação que tem a ver com algo que estudou, aquela informação não te deixa nunca”, diz.

Mas, como é impossível vivenciar tudo o que é estudado, a dica é pedir (e anotar) exemplos aos professores e procurar nos livros a aplicação prática de conceitos abstratos.

13. Ouvir, anotar e revisar

Faça anotações em aula e revisões periódicas, indica José Roberto Lima. “Gravamos 50% do que ouvimos durante três dias. Quando ouvimos e fazemos anotações, saltamos para 90% (mas também por três dias). Quando ouvimos, fazemos anotações e, no prazo de três dias, fazemos revisões, gravamos, para o resto da vida, 70%”, diz Lima.

Fonte: exame.abril.com.br